Construção Sustentável: A chave para o futuro

  • Mariana Soares

Atualmente o espaço, a beleza e o conforto não podem ser os únicos elementos a considerar nos edifícios em que vivemos ou trabalhamos.
Com as mudanças climáticas, a redução dos recursos naturais e a necessidade de apostar em fontes de energia renováveis, torna-se imprescindível alterar a realidade vivida no setor habitacional.
Deste modo surge a construção sustentável como chave para o futuro.

O que é a construção sustentável?

A construção sustentável consiste na adoção de práticas antes, durante e após o projeto que não prejudiquem o meio ambiente, que potenciem o conforto, que reduzam os consumos e melhorem a qualidade de vida dos habitantes.
Assim, construir sustentável nada mais é do que desenvolver edifícios eficientes, no que diz respeito ao consumo de água e energia, utilização de recursos e materiais eco-friendly, diminuição das emissões de CO2 para atmosfera e promoção de um ambiente saudável.
Esta ideologia procura essencialmente responder às necessidades individuais de cada um sem comprometer o futuro das gerações vindouras. 

Construção tradicional vs. construção sustentável

Regra geral, na construção tradicional a preocupação com o consumo excessivo de matérias-primas, a utilização de fontes energia não renováveis e a produção excessiva de resíduos é reduzida. Desta forma, a construção sustentável surge como uma mudança de paradigma no que se refere ao setor, deixando para trás fatores de competitividade e focando-se sobretudo no futuro. 

Benefícios associados à construção sustentável

1. Saúde: Edifícios sustentáveis apresentam um impacto real na saúde. 

Se um ambiente for mais ventilado (pois aproveita o ar externo), melhor iluminado (com o aproveitamento da luz solar) e mais verde (tanto na essência como no design) proporciona sensações como calma e tranquilidade. A par disto, problemas de saúde como gripe ou constipação tendem a diminuir consideravelmente.

2. Economia: As habitações sustentáveis são, por regra, energeticamente eficientes. Logo, gastará muito menos numa casa sustentável.

3. Valorização do empreendimento: Edifícios sustentáveis são muito mais valorizados. Estudos nacionais e europeus confirmam que quem aposta em níveis de eficiência energética mais elevados consegue uma valorização adicional do imóvel entre 6 a 10% do valor de mercado.

Representa um investimento elevado? 

Num momento inicial, as habitações que preencham os requisitos de construção sustentável tendem a ser um pouco mais dispendiosas do que as com o conceito tradicional.
No entanto, embora o investimento seja superior, estudos mostram que, a diferença de preço é amortizada no prazo de 5 a 15 anos. De que forma isto é possível? Devido à poupança em água, luz e climatização, aos baixos custos de manutenção, consequência da durabilidade dos materiais, e a outros benefícios associados. 

Faça download do nosso E-BOOK e descubra o que nunca lhe contaram acerca da construção sustentável.

“Uma construção economicamente eficiente hoje para um amanhã mais sustentável!"